Press "Enter" to skip to content

Vídeo em alta qualidade vaza parte traseira do futuro iPhone de baixo custo

Provavelmente em setembro, seremos contemplados com mais uma keynote da Apple, que será marcada pela chegada da próxima geração do iPhone. Certamente, a logística de venda adotada pela firma cupertiniana seguirá uma tendência parecida com a linha dos iPods touch, que ganhou um modelo mais barato (R$899 no Brasil) sem abrir mão de um hardware potente. No caso dos iPods, a capacidade de armazenamento foi abaixada e a câmera traseira foi removida para que o barateamento de produção – e consequentemente o barateamento do preço final do produto para o consumidor – fosse atingido. Para a próxima geração do iPhone, a grande aposta é o lançamento simultâneo de um modelo normal, com toda a elegância da Apple, e um modelo mais barato (mas nem por isso sem a elegância da Apple). O iPhone de menor custo será provavelmente marcado pela troca da carcaça – tchau vidro, olá plástico.

De acordo com os rumores que fazem mais sentido, as cores oferecidas pela Apple seriam azul, verde, rosa, branco e amarelo.

A proposta da Apple é genial: juntar o útil ao agradável. Não é apenas baratear custo de fabricação, mas também oferecer uma alternativa mais barata para o primeiro smartphone das crianças com cores e estilo “fun” – os smartphones estão nas mãos de crianças cada vez mais novas. O plástico é mais seguro que o vidro, dá menos manutenção, não risca, é mais resistente. Deu pra entender a ideia? São muitas as vantagens, especialmente para o público mais jovem. Então, adotemos como verdade que há MUITO mais variáveis envolvidas no lançamento de uma variação do modelo principal do iPhone do que um mero barateamento de produção. Aguardemos, ansiosamente, pela próxima geração do iPhone – e por todas as novidades paralelas que podem chegar simultaneamente.