iPod School

Uma análise dos preços dos iPhones 6 e 6 Plus

André BazagliaAndré Bazaglia
DSC_4470

Apesar da matéria anterior ser inteiramente dedicada ao iPhone 6, não abordamos o quesito preço nela. Decidi dedicar uma matéria nova completamente a este ponto. Dizer que o preço dos iPhones subiu é uma mentira. Desvendarei isto nesta matéria.

Antes de mais nada, é preciso que o usuário entenda uma coisa: o iPhone 6 não entrou no mercado para suceder o iPhone 5c. Os dois smartphones têm em comum um irmão de mesma geração e mais caros, mas devem ser enxergados como produtos completamente distintos.

A diferença do iPhone 5c para o 5s não se limita apenas à carcaça de plástico. O hardware do iPhone 5c é inferior ao do iPhone 5s. E essa situação não se repetiu hoje. A partir do momento que a Apple lança dois iPhones com o mesmo design e com suas diferenças se limitando à tamanho da tela, bateria (é claro que uma tela maior precisa de mais bateria para se sustentar sem houver perda) e uma leve mudança na lentes da câmera traseira, mas com o mesmo hardware, ela elimina por completo a ideia de que o iPhone mais barato é inferior. Ele só é menor. Simples assim.

Os iPhones 5s de 16GB, 32GB e 64GB saiam, respectivamente, por US$649, US$749 e US$849. O iPhone 6 sai, respectivamente, nos modelos de 16GB, 64GB e 128GB – o modelo de 32GB foi descontinuado –, por US$649, US$749, US$849. Houve uma leve redução nos preços, por mais que há quem acredite que não. Além do iPhone 6 ter a tela com 0.7″ a mais e sair aparentemente pelos mesmos preços, o usuário leva, agora, um iPhone 6 de 64GB pelo mesmo valor que ele levaria um iPhone 5s de 32GB – é o dobro da capacidade de armazenamento!

Exemplificando: ao optar pelo modelo de 64GB do iPhone 5s, o usuário deveria pagar US$849; contra US$749 do iPhone 6 com a mesma capacidade de armazenamento, com o hardware mais novo e com a tela maior. O desconto é, portanto, de US$100. Acontece que agora há uma nova categoria do iPhone. O “iPhone Plus”. Ele não chegou para suceder o 5s. Quem sucedeu o 5s foi o 6. O iPhone 6 Plus representa uma nova categoria de iPhones nunca explorada antes pela Apple. Este sim é mais caro – e por um bom motivo.

Já que sei que é de interesse de muitos, disponibilizo, abaixo, a sequência de preços dos novos iPhones nos EUA.

iPhone 6:

iPhone 6 Plus:

No Brasil, minha aposta é que o iPhone 6 mantenha, em sequência, para os modelos de 16GB, 64GB e 128GB, os preços dos iPhones 5s de 16GB, 64GB e 128GB – ou pelo menos se aproxime deles. O iPhone 6 Plus de 16GB sairia pelo preço do iPhone 6 de 32GB, o iPhone 6 Plus de 64GB sairia pelo preço do iPhone 6 de 64GB, e o iPhone 6 Plus de 128GB seria um modelo à parte, um caso extraordinário: o seu preço seria superior aos atuais R$3.239 do iPhone 5s de 64GB. Ainda assim, seria justo pelo fato do iPhone ter a tela 1.5″ maior e o dobro de armazenamento. O problema não está no iPhone, e sim no país em que você vive.

Programador, blogueiro, estudante de Engenharia de Computação. Em busca de deixar sua marquinha no universo.

  • Vitor

    Super concordo com a ultima frase: o problema não está no iPhone, e sim no pais que você vive.

  • Pingback: Apple baixa preços dos iPhones 5s e 5c no Brasil | iPod School()

  • Eduardo

    Esse preço é oficial? miami ai vamos nós kk

  • Quase 1000 dólares em um celular e ainda diz que é justo? Devem ser ricos kkkk

    • Rikardo

      Não é um celular. É o melhor celular!

  • Pingback: Tela grande do iPhone 6 vira alvo de piadas na web | iPod School()

  • Matheus Luís

    A diferença entre o preço do iPhone lá fora e aqui não é culpa do país. Sim, há impostos que encarecem o produto, mas a Apple, assim como muitas outras empresas como as montadoras de carros, aplicam uma taxa de lucro absurdamente superior aqui. A culpa é desses dois fatores. É um ótimo celular, sou usuário desde o 3Gs, mas me entristece muito que a Apple olhe com tanto descaso para o Brasil, seja na não disponibilização da Siri em português, seja por não dar prioridade a venda aqui, que deve chegar só bem depois do lançamento oficial, enfim. Diversos fatores. Sigo usando porque é um celular muito acima dos outros, o novo app saúde é uma baita mão na roda. Eu que no momento tenho um 5 vou trocar por um 6 ou 6+, mas se eu tivesse um 5s dificilmente trocaria.

    • Gabriel

      O proprio Steve ja tinha comentado sobre o assunto. Que se fosse diferente nos paises (ele falou em especifico pra Europa mas o mesmo deve se aplicar no Brasil), a Apple faria melhor.