Press "Enter" to skip to content

Tudo o que você precisa saber sobre o ‘Dream JB’

[zilla_alert style=”white”] Observação: O jailbreak no iOS 6 atualmente é possível em alguns aparelhos, mas é semitethered. Saiba mais sobre as diferenças entre tethered, semitethered e untethered e acesse nosso tutorial aqui. (link) [/zilla_alert]

No começo do mês, um hacker não identificado até então desconhecido entre os principais nomes que representam as equipes que trabalham em cima do jailbreak do iOS “surgiu do nada” e prometeu o lançamento de um programa capaz de realizar o jailbreak untethered (definitivo) no iOS 6. Com uma página inicial clara e objetiva, o hacker em questão afirma que sua ferramenta será lançada dia 22 de dezembro e diz que vídeos comprovando a veracidade do seu método serão divulgados, nada mais.

Mesmo se um suposto programa capaz de realizar o jailbreak for disponibilizado para download no site dreamjb.com em 22 de dezembro, se arriscar a baixá-lo é inútil. Muita gente não sabe, mas o tornar o aparelho totalmente inutilizável depois de um jailbreak mal-sucedido é possível. Quem nos acompanha desde 2008 certamente se lembra do ZiPhone. O programa era o método mais simples de jailbreak disponível na época. Bastava um click e… voilá, o jailbreak estava feito. Parecia mágico, mas não era. Por trás de toda a simplicidade estavam problemas. O ZiPhone fazia algumas alterações irreversíveis na ramdisk do iPhone e alterava o MAC address, número exclusivo da placa de rede de cada aparelho, para um padrão “00:5a:49:42:52:49”, o que implicava possíveis futuros problemas com EDGE/Wi-Fi. Super grave, concorda? Pois é, mas a história não para por aí: O Ziphone fazia todo o flashing (parte mais perigosa do jailbreak) durante a primeira fase da ramdisk. Durante essa fase, alocar muita memória pode resultar na corrupção da ramdisk. Já o trabalho feito pelos hackers de equipes maiores, como o Dev Team, Chronic Dev e todos os nomes famosos que divulgamos sempre no iPS é milimetricamente otimizado e bem divido, de modo que uma falha permanente no processo é impossível.

[Imagem ilustrativa – representa um iPad jailbroken]

Basta navegar um pouco entre as infinidades do Google para verificar a quantidade alta de usuários que, no passado, tiveram seus aparelhos ‘brickados’ (destruídos) pelo uso do ZiPhone. Não pense que estamos exagerando ao elaborar uma matéria com o uso de termos diferentes e uma história um pouco assustadora – no parágrafo anterior. Nosso objetivo é, por meio desta, alertar nossos leitores de maneira bem clara: não busque um jailbreak que não existe, ainda. É possível que o jailbreak de fato chegue dia 22 de dezembro, mas ele ainda não chegou. E quando chegar, testaremos tudo antes, agruparemos relatos de hackers maiores, detalharemos se ele é seguro e lhes orientaremos corretamente. Combinado?