Press "Enter" to skip to content

Samsung trollando consumidores: Galaxy Note 8

note-8

Alô, quem fala?

Para concorrer com o iPad mini, o tablet de 7,9 polegadas que tem a maçã mordida gravada em sua traseira, a Samsung faz algo mais grandiodo: seguindo o seu provável princípio sul-coreano que maior é melhor, a empresa lança o Galaxy Note com 0,1 polegada a mais que o iPad mini, totalizando 8 polegadas (resolução 1280×800). De acordo com a Samsung, seu objetivo é proporcionar ao consumidor a fusão perfeita entre portabilidade e produtividade cotidiana. Mas será que o brinquedinho novo cumpre o que promete?

Processador de 1,6GHz com quatro núcleos; 2GB de RAM; capacidades de armazenamento de dados de 32 ou 64GB – expansível através de cartões MicroSD em mais 64GB, totalizando 128GB; câmera frontal de 1,5MP e traseira de 5MP; modelos Wi-Fi e Wi-Fi + 3G e bateria com até 10 horas de autonomia em uso continúo e Android 4.1.2 instalado de fábrica. O preço sugestivo (que pode ou não corresponder ao preço final do produto em terras tupiniquins) é de R$1.500. A disponibilidade estaria garantida já para o mês que vem, e  o iPad mini nem chegou no Brasil ainda.

Como smartphone, o Galaxy Note 8 não chega nem perto de cumprir o que promete, e o conceito de ‘portabilidade’ da Samsung parece estar bastante equivocado. Já como tablet, a máquina é incrível: de acordo com relatos, o touchscreen é de qualidade excepcional, e a S Pen, caneta opcional, limpa bastante o preconceito que temos em usar canetas em tablets/smartphones (não sei como devo chamar o Galaxy Note 8). Seu hardware ganha do iPad mini em praticamente todos os aspectos, e o conceito de design do produto é extremamente válido, desde que você não use-o próximo à sua orelha enquanto fala com alguém pela rede de celular. Combinado?

Imagem e sugestividade para título: BGR.