iPod School

[Polêmica] Mensagem do Siri levanta suspeita sobre campanha antiaborto da Apple

Lucas FonteneleLucas Fontenele

Ativistas norte-americanos da União Americana de Liberdades Civis (ACLU, no inglês) acusam o Siri, assistente pessoal do iPhone 4S, de tomar partido na discussão sobre a legalização do aborto. Eles usam como justificativa respostas do aplicativo a questões sobre aborto e métodos contraceptivos: o Siri se diz incapacitado de responder, encaminha o usuário para um centro de apoio à mulheres em crise na gravidez ou afirma que não foi capaz de encontrar nenhuma clínica de aborto.

SIRI causa polêmica com mensagem no iPhone 4S

Os ativistas comparam as respostas do Siri: ao passo que não oferece retornos sobre contraceptivos e aborto, o serviço não tem dificuldades em encontrar strippers, telefones de prostitutas e farmácias onde você pode comprar medicamentos contra a impotência.

A ACLU deu início a uma petição na internet para que a Apple corrija o problema, “garantindo as pessoas respostas conforme elas precisem”. A organização ativista vai além, dizendo que clínicas de apoio à mulheres em crise na gravidez não são equivalentes à clínicas que podem realizar aborto nos países onde a prática é legalizada.

Embora a hipótese de mera falha na programação não possa ser descartada, os ativistas chamam a atenção para o fato de que o Siri embasa seus resultados em buscas do Google e outros serviços de busca – informação que é confirmada por Norman Winarsky, um dos criadores do Siri antes da plataforma ser comprada pela Apple em 2010. Como as buscas no Google e em qualquer buscador oferecem enorme quantidade de respostas sobre métodos contraceptivos e aborto, isso sugere, segundo reportagem do jornal inglês Daily Mail, que a Apple deliberadamente impôs um filtro no assistente, tornando-o “pró-vida” e anti-aborto.

Normam Winarsky declarou ao jornal norte-americano The New York Times que, em princípio, o sistema não incluía filtros deste tipo. No entender de Norman, a Apple preparou o Siri para buscar informações sobre serviços locais, como clínicas, bares e mesmo strippers. “Provavelmente a Apple não prestou muita atenção nos resultados que apareceram” e isso explicaria as discrepâncias.

A Apple ainda não se manifestou sobre as acusações sobre má fé e politização do serviço, e os ativistas da ACLU prometem lançar uma petição na internet.

Quer meu twitter? Vai lá em baixo na minha mini-Bio que você acha. E Não esqueçam:

[tip]O iPod School deixa você por dentro de tudo que acontece no mundo dos iDevices/Apple, acompanhe-nos no [email protected] curta-nos na nossa Facepage![/tip]

Via Filipe Garrett do TechTudo

  • Falta do que fazer! Esses ativistas não tem realmente o que fazer. Apesar de o iphone, com o seu conceito de facilitar a vida das pessoas, acho que a apple tentou se manter imparcial em uma questão tão polêmica. Como a minha opinião sobre o aborto é totalmente negativa, quem for a favor do aborto compre um android.

  • Willian Sousa

    Primeiro, o Siri é BETA, esses ativistas vão levar canseira e só … Quanto ao aborto, sou contra. Não sou pai, mas sou contra, quem mandou aprontar de qualquer maneira!?

    • Leo

      Idiota, desde quando filho é castigo? Por causa de macacos igual vocé que esses ativistas tem que existir, tomara que vc enfravide alguém e receba seu "castigo divino".

  • Anônimo

    Que polêmica heim?
    Se eu fosse um manager da Apple, faria o siri dar outra resposta:
    "Infelizemente essa é uma das poucas respostas que não sei"
    Pronto, assim ela se omite sem se omitir…

    • Lucas Fontenele

      Bom coment =D

  • Bruno Costa

    este Siri… rsrsrsrsrs Ativista = falta mesmo do que fazer!! 😛

  • Leonardo

    Que bela falta do que fazer deles. Entao se alguem perguntar pro Iphone "Voce é a favor da criação da Palestina ?" e ele responder que sim, os judeus podem declarar guerra contra a Apple tambem ?