Press "Enter" to skip to content

Opinião: a WWDC 2014

Seria extremamente repetitivo reproduzir um conteúdo que já criamos no live.ipodschool.com – e que está disponível para acesso de vocês a qualquer momento. Aproveitarei, portanto, minhas últimas horas do dia de hoje para comentar o que eu achei do evento de hoje. Quais as possibilidades ele abre para a Apple, quais possibilidades ele abre para desenvolvedores e quais possibilidades ele abre para usuários finais – aqueles que usam o produto que é produzido pela Apple e moldado por desenvolvedores do iOS.

Antes de mais nada… Este é um evento para desenvolvedores.

Em uma das últimas frases que publiquei na cobertura ao vivo da WWDC 2014, eu escrevi: “E a WWDC acaba: sem smartwatch. Sem CarPlay. Sem um novo iPhone ou qualquer novo hardware (da linha de Macs). Os maiores beneficiados com as novidades do evento foram os desenvolvedores. Afinal, o evento é destinado à eles”. Este é o primeiro ponto de partida para entendermos o evento de hoje. Por ser destinado à desenvolvedores, novidades em software são potencialmente criadas. De um ponto de vista mais prático, de um ponto de vista que o povão mais nota, não tivemos muitas novidades. O iOS continua a mesma coisa de sempre, com algumas novidades na Siri – mas ela ainda segue em inglês –, mas nada que não me deixe com vontade de atualizar, por exemplo. Uma das mudanças mais impactantes é o surgimento de uma nova linguagem de programação: o “Swift”. Somada com algumas melhorias na API, que são, literalmente, funções disponibilizadas para desenvolvedores.

Como novidades do futuro, aponto algumas: 1) com a API do TouchID, o PayPal poderá processar pagamentos usando a digital como senha, e o Facebook poderá logar um usuário igualmente com sua digital; 2) desenvolvedores poderão integrar melhor seus serviços à servidores, já que um servidor com funcionalidades limitadas (mas que permite gravação, leitura à banco de dados e a realização de tarefas simples), tudo de graça; 3) API’s foram abertas para fotos, possibilitando o gerenciamento melhor de fotos por app de terceiros; 4) usuários poderão customizar o teclado nativo do iOS.

OS X.

A aproximação do Mac com o iOS é cada vez mais intensa. Mais uma vez, a Apple foi muito além dos traços visuais e introduziu funcionalidades que possibilitam uma comunicação mais intensa entre o OS X e o iOS. Destaquei os principais pontos da integração:

  • Mensagens trocadas pelo iOS agora podem ser visualizadas pelo OS X. No evento, Craig, executivo da Apple, até brinca ao dizer que essa é para quem valoriza os amigos que ainda não estão dentro da bolha azul do iMessage por estarem presos a smartphones inferiores. Nesse caso, a troca de SMS’s é completamente permitida. Basicamente, você pode escrever uma SMS do seu Mac e enviá-la pelo iPhone. Simples assim.

  • Ligações do iPhone podem ser atendidas pelo Mac. Tudo foi integrado de maneira fácil e intuitiva.

DSC_1019

  • O AirDrop tem seus limites expandidos. O sistema já permitia, desde sempre, a troca de arquivos entre Macs e Macs e iOS’s e iOS’s. Agora, sistemas operacionais diferentes podem se comunicar: um notebook pode enviar um arquivo para um iPhone, por exemplo.

DSC_0999

É óbvio que não podemos nos esquecer que, por trás de todas as mudanças práticas, o OS X teve seu visual completamente reformulado. O sistema introduz, agora, a cara do iOS no Mac. Ícones mais minimalistas, aderindo ao design flat, a barra que envolve a dock é mais sólida – ficou LINDA! –, wallpapers padrões muito mais elegantes e uma tipografia diferente para janelas (além de uma interface nova para o Finder também, que é o equivalente ao Windows Explorer). Por fim, o menu maçã (menu superior do Mac) mudou. A propósito, a nova fonte do menu superior é incrível. Foi muitíssimo bem escolhida pela equipe de design liderada por Sir Jony Ive.

Antes de fechar a seção “Mac”, eis algumas imagens:

osx_design_hero osx_design_controls osx_design_translucent

osx_design_notification_today

O OS X 10.10 Yosemite sairá, quando lançado, de graça para todos os usuários de Macintosh, e poderá ser baixado pelo aplicativo nativo “App Store”.

iOS 8.

O iOS 8 segue a mesma tendência visual do iOS 7. A MESMA. E não é exagero.

Notificações interativas.

Você recebe uma notificação no iOS. Mas ao invés de simplesmente deixá-la acumular na Central de Notificações ou ocultá-la tocando no “X”, você quer interagir com ela. Mas não quer perder tempo com isso. Afinal, a tecnologia deve ser nossa aliada para a otimização do tempo. Agora isso é possível.

apple-wwdc-_0362

No exemplo apresentado na keynote, o usuário recebe uma notificação de marcação em um status do Facebook, e recebe a opção de curtir ou comentar. Super prático, útil, e simples. Visualmente, a solução proposta também é bem a cara do iOS. Aprovei.

Quicktype

Desenvolvedores terão, finalmente, liberdade para customizar o teclado do iOS. Já era hora! Na nossa cobertura ao vivo, expliquei: “você pode instalar aplicativos de terceiros para o teclado do iOS. Inclusive o Swype. Para quem nunca teve a chance de usar o gesto ‘Swype’ para digitar com uma mão só, acreditem: vocês se apaixonarão pelo recurso. Estou falando com o William em uma conferência e nós dois concordamos nesse ponto.”

Tudo o que você precisa saber sobre o iOS 8…

Ainda sobre o iOS, publicamos uma matéria exclusivamente sobre ele. Acesse-a clicando aqui.

Conclusão geral do evento: Gostei, mas não gostei. Como desenvolvedor, me apaixonei. A nova linguagem de programação parece ser ultra fácil, e tornará o desenvolvimento de softwares para iOS (que já não é muito complicado) mais fácil ainda. Como usuário de produtos da maçã mordida, eu esperava mais, mas se esse não surpreendeu, o próximo vai. Afinal, as novidades de hardware ficaram guardadas para ele. iWatch, iPhone e Macs para o próximo evento? Aguardemos. 2014 é um ano que, como Tim Cook já garantiu, promete ótimas novidades no universo da tecnologia.