iPod School

O que seria da Apple se Jobs ainda estivesse vivo?

Cibelly AguiarCibelly Aguiar

Ontem seria o dia em que o CEO-Fundador da Apple, Steve Jobs, completaria 60 anos se estivesse vivo. Muita gente está insatisfeita com a gestão atual da Maçã de Cupertino e fica se perguntando: como estaria a Apple caso Jobs ainda estivesse no comando? Muitas vezes, inclusive, diversos economistas e fãs da Apple já disseram que sem Jobs, a Maçã estaria ”fadada ao fracasso”.

Mas, voltando ao tempo, será que a Apple teria chegado onde está hoje? Estariam atrasados no mercado? Existiria iOS 7 com visual moderno? As dúvidas são muitas, principalmente quando se trata da direção que a Apple teria tomado.

Existiria talvez uma TV da Apple? Steve já chegou a dizer uma vez que tinha projetos de uma TV que traria uma interface com a qual o usuário ficaria feliz em possuir e usufruir. Será que Jobs inovaria em um novo conceito de TVs quando o mercado está voltado nos smartphones e tablets?

E o mais polêmico de todos: o iPhone de tela grande. Será que a Apple teria lançado iPhones com telas maiores após Jobs dizer que um celular não pode ser grande o bastante que o polegar conseguisse alcançar tudo? A Maçã também estaria competindo com grandes empresas do seguimento?

Lançaria-se o Apple Watch? Jobs teria abraçado a ideia de um wearable interligado ao smartphone? E os boatos do carro da Apple? Será que o mesmo já teria tomado highways dos EUA? Já teriam uma competição acirrada com a Tesla? Muitos de nós achamos que a doença do Jobs veio para roubar-lhe a energia e disposição, mas já estaríamos onde a Apple está?

Jobs foi um visionário, e deixou sua marca no mundo. Infelizmente, ele era sim insubstituível. Só há uma pessoa neste mundo que poderia ser o Steve: o próprio Steve. Isto não significa que outros executivos não possam dar um futuro brilhante à uma empresa que o Steve começou, e na qual sempre fez questão de manter no DNA o espírito revolucionário. Tim já havia assumido o papel funcional de CEO enquanto Steve se afastou da Apple em alguns momentos mais delicados de sua vida, por motivos de saúde, e certamente foi a melhor escolha de Steve para suceder a Apple por algum bom motivo. Ela não foi feita por acaso. Boas ideias e novos gênios felizmente surgem à medida que o tempo passa: é o recurso do mundo para abrir portas para novos inovadores.

Sabemos que todos sentem muito a perda de Steve, mas temos que prosseguir. O tempo não para. Nos resta torcer para o futuro da Apple com Tim Cook e apostar que ainda há muito a se inovar.

Geek fã de tecnologia, principalmente Apple. Gosta de escrever e faz sempre que o pode. Quer falar comigo? Estou no Telegram pelo usuário @aguiarcibelly.