iPod School

O leitor de livros eletrônicos Kindle chegou no Brasil e no Japão

iMarkiMark

E ai caros amigos leitores, tudo bem? Já vou avisando que este post é bem longo, mas acho que vale a pena ler, pois ele menciona os nossos preciosos gadgets e a maçã, e também a possível tablet, que a Apple estaria preparando e guardando a sete chaves, se você é curioso e quer se manter informado como eu, acho que vale a pena dar uma olhada…

O Kindle, leitor de livros eletrônicos da Amazon, acabou de chegar a mais de 100 países, inclusive no  Brasil e também no Japão.  A novidade dá a maior rede varejista online do mundo, um mercado muito mais amplo que um dos seus principais concorrentes, no caso a Sony.

O preço do Kindle no Brasil será de R$ 1.030,00 e no Japão 25 mil ienes. Em outros países ele custa US$ 279, no Brasil, mais da metade deste valor é devido ao frete e taxas alfandegárias.

Nos EUA, o Kindle deve ter seu preço reduzido de US$ 299 para US$ 259, tornando seu preço compatível com os preços de seus rivais no mercado americano.

A Amazon, bota muita fé no Kindle, e acha que ele é um dos principais produtos que fazem e fizeram a loja crescer, disse que estarão disponíveis mais de 200 mil livros em inglês, de várias editoras, além de 85 jornais e revistas do mundo todo, que estarão disponíveis na versão internacional do gadget.

¨Nosso objetivo é ter todos os livros já publicados, inclusive aqueles esgotados, em todas as línguas, disponíveis em 60 segundos¨, afirmou o presidente-executivo da Amazon, Jeff Bezos.

Muitos analistas tem discutido a possibilidade de a Amazon desenvolver um Kindle como um tablet, modelo de computador portátil, para enviar mensagens de texto, emails e navegar na Web, como um possível rival para um aparelho similar que estaria sendo desenvolvido pela Apple.

Mas Bezos reiterou que sua intenção é otimizar a experiência de leitura, dizendo que a empresa não aceita fazer concessões, seja adotando a função touchscreen ao gadget , o que afeta a leitura e implicaria num consumo maior da bateria.

Porém a Amazon busca atrair novos usuários, ao disponibilizar livros digitais para outros aparelhos. Hoje em dia, além do Kindle, esses livros eletrônicos podem ser acessados no iPhone ou no iPod touch da maçã.

¨Queremos que se possa ler seus livros para Kindle no laptop e em smartphones, ou qualquer outra plataforma bem estabelecida no mercado¨, disse Bezos. Ele disse ainda que, ¨em princípio¨, não é contrário a liberação das obras em produtos de seus concorrentes, mesmo sendo a Sony, mas que atualmente estão focados em dispositivos com uma ¨grande base (de mercado) já estabelecida¨.

Escolha de livros

Os clientes que não residem nos Estados Unidos também já podem fazer o download de revistas, jornais e livros, o preço varia de acordo com a publicação e o país do cliente, tudo isto, fruto dos direitos autorais.

A disponibilidade de livros para quem não reside nos Estados Unidos será menor: cerca de 290 mil livros estarão disponíveis, contra mais de 350 mil para os americanos .

¨Nós temos milhões de consumidores em países de todo o mundo que leem livros em inglês¨, disse Jeff Bezos. ¨O Kindle permite que esses usuários pensem em um livro e consigam baixá-lo em menos de 60 segundos¨.

Infelizmente a lista não contem publicações em japonês. Segundo a Amazon Japan, a empresa pretende disponilizar futuramente, matérias de jornais japoneses, só que ainda não tem data definida.

O leitor de livros eletrônicos Kindle, lidera o segmento de leitores digitais nos EUA. Segundo dados da consultoria Forrester Research, o aparelho da Amazon tem cerca de 60% do mercado americano, ao passo que o seu maior rival, o Reader da Sony abocanha 35% deste mercado.

Recentemente a Forrester aumentou as suas estimativas de vendas do segmento nos EUA. Prevendo que serão vendidos 3 milhões de aparelhos só este ano, sendo que entre novembro e dezembro, seja vendido quase um terço deste total. Pesquisas anteriores indicavam vendas em torno de 2 milhões de aparelhos.

O Kindle é atualmente o produto mais vendido pela Amazon, desde o seu lançamento há dois anos. De cada 100 livros impressos vendidos pela Amazon, 48 edições digitais são compradas para serem lidas no Kindle.

Mas a Amazon não quer parar por aqui, ela pretende vender no ano que vem, uma versão internacional do Kindle DX, que foi lançado no Estados Unidos há cinco meses. O Kindle utiliza as redes de telefonia móvel de alta velocidade para baixar jornais, revistas, documentos pessoais ou livros. O leitor eletrônico vem com tela de 6 polegadas e pesa 289 gramas, permitindo ler livros e jornais.

Embora tudo ainda não passe de rumores, possivelmente a maçã está estudando ou melhor pode estar finalizando o seu futuro lançamento: a tablet, que além de vir com as funções que existem no Kindle, virá com outras grandes novidades, é o que esperamos agora que Steve Jobs voltou ao batente.

Fora que ano passado, ele não estava presente na remodelação do iPhone 3GS e no próximo ano com o lançamento do iPhone 4G, com certeza novidades virão.

Abraços

Via Reuters e Folhapress

Paulistano, mas cearense de coração. Pai de dois filhos, sendo um autista.

  • Que absurdo um aparelho que custa $299 e ficar com o preço de R$1030 aqui no Brasil
    Só aqui mesmo…

    • Absurdo mesmo, eles colocam a culpa no frete e nas taxas alfandegárias, mas, com certeza tem mais coisas ai embutidas que eles não revelam.
      Coisas do Brasil…
      Abraços
      🙂