Press "Enter" to skip to content

Nuvem? Existe outra sem ser a do céu? Sim. É a computação em nuvem!

A computação nas nuvens, em inglês chamada de “cloud computing”, é uma tendência na internet do futuro. Em meio a todo o barulho, muita gente olha para cima, e se pergunta o que tudo isso significa. Se você é um deles, vamos a uma explicação simples.

Que negócio é esse de nuvem que tão falando por ai??

Então, após muitos pedidos criei motivação para falar sobre essa “nuvem” que não é a que você conhece no céu. Mas como explicar algo simples e de definição complexa?

Computação em nuvem se refere a um modelo de computação em que dados e aplicações residem em servidores físicos ou virtuais, acessíveis por meio de uma rede em qualquer dispositivo compatível.

É a ideia de utilizarmos, em qualquer lugar e independente de plataforma, as mais variadas aplicações por meio da internet com a mesma facilidade de tê-las instaladas em nossos próprios computadores.

Não sei se entendi…

A nova abordagem provê poder de computação como serviço via web, é mais ou menos como uma empresa de eletricidade fornece energia, em lugar de fazer com que os consumidores comprem computadores que eles mesmos administrem. Ou como a diferença entre comprar um carro e cuidar dos consertos necessários quando ele quebra ou arrendá-lo e contar com um mecânico para mantê-lo em operação.

A promessa da computação em nuvem é a de eliminar a necessidade de que organizações e indivíduos mantenham seu hardware, software, equipamento de armazenagem e equipamento de rede de computação.

Mas por que esse nome “nuvem”?

Existem várias versões para a origem do termo, mas a mais popular é que o termo surgiu em tom de brincadeira, para explicar onde os serviços estavam rodando. Em vez de rodarem em um servidor, trancado em uma sala da empresa, passaram a dizer que eles estavam rodando “nas nuvens”. Não há acordo sobre como definir a computação em nuvem. Há complicadas definições acadêmicas e outras criadas para servir necessidades escancaradas de marketing.

Entendi. Fale mais.

A idéia central por trás do Cloud Computing é fornecer serviços através da Internet, permitindo que você acesse arquivos, documentos, e-mail, rode aplicativos e assim por diante, a partir de qualquer PC conectado à web.

Dois bons exemplos introdutórios seriam o Gmail e o Google Docs, dois serviços onde os dados são armazenados nos datacenters do Google e você simplesmente acessa as informações utilizando o navegador, seja através do próprio PC, ou de um smartphone ou qualquer outro dispositivo conectado:

No Google Docs, os usuários podem editar textos, fazer planilhas, elaborar apresentações de slides, armazenar arquivos, entre outros, tudo pela internet, sem necessidade de ter programas como o Microsoft Office ou OpenOffice.org instalados em suas máquinas. O que o usuário precisa fazer é apenas abrir o navegador de internet e acessar o endereço do Google Docs para começar a trabalhar, não importando qual o sistema operacional ou o computador utilizado para esse fim.

Para donos de igadget, nesta segunda-feira (06/06/11) a Apple irá apresentar o iCloud. O seu próprio serviço de compartilhamento em nuvem. O iCloud deverá seguir a trilha do Amazon Cloud e do Google Music, serviços que permitem fazer o upload das suas músicas para ouvi-las em qualquer aparelho, por streaming.

Legal, mas quais são as vantagens dessa “nuvem”??

A maior vantagem da computação em nuvem é a possibilidade de utilizar softwares sem que estes estejam instalados no computador. Mas há outras vantagens muito boas:

  • Na maioria das vezes o usuário não precisa se preocupar com o sistema operacional e hardware que está usando em seu computador pessoal, podendo acessar seus dados na “nuvem computacional” independentemente disso;
  • As atualizações dos softwares são feitas de forma automática, sem necessidade de intervenção do usuário; (Ótimo)
  • Os softwares e os dados podem ser acessados em qualquer lugar, em qualquer computador, bastando que haja acesso à Internet, não estando mais restritos ao ambiente local de computação, nem dependendo da sincronização de mídias removíveis como pen drive. (Adeus Pen Drive?)
  • O usuário tem um melhor controle de gastos ao usar aplicativos, pois a maioria dos sistemas de computação em nuvem fornece aplicações gratuitamente e, quando não gratuitas, são pagas somente pelo tempo de utilização dos recursos. Não é necessário pagar por uma licença integral de uso de software; (Tchau Office!)
  • Diminui a necessidade de manutenção da infraestrutura física de redes locais cliente/servidor, bem como da instalação dos softwares nos computadores corporativos, pois esta fica a cargo do provedor do software em nuvem, bastando que os computadores clientes tenham acesso à Internet. Assim o trabalho corporativo e o compartilhamento de arquivos se tornam mais fáceis, uma vez que todas as informações se encontram no mesmo “lugar”, ou seja, na “nuvem”; (Técnico de redes que não se atualizar vai se aposentar!)
  • De uma maneira geral, serviço de plataforma é uma evolução da terceirização na área de TI. A maioria das empresas não tem como atividade principal a gestão de TI, nesse caso, TI passa a ser efetivamente uma ferramenta de suporte ao negócio, ou seja, o foco do cliente é a informação e não a forma como ela é mantida e processada. Isso é uma grande tendência de mercado, principalmente pelo controle de custos, pois atualmente em grande parte das empresas não se sabe quanto se gasta com TI, nem quanto poderia ser economizado. (Se você quiser reduzir custos…)

Finalizando…

Em minha opinião, adorei isso tudo! Tem ótimas vantagens com o custo baixo. O que mais gosto da nuvem é não ter que me preocupar com backup. Armazeno meus arquivos mais importantes na nuvem e eles que se preocupem com isso.

Com certeza, tem gente pensando…:

Prefiro um Pen Drive!”

Lamento. Mas já vi pessoas perderem arquivos importantes neles por queimarem. Uns perderam até cabelos por isso hein!

“E eu vou confiar meus arquivos mais importantes com eles? Tá doido!”

Sim! Eu prefiro confiar pelo simples motivo de que há muito mais chance de ocorrer um acidente com meu disco (do computador ou de backup) do que com o deles. E já conheci muita gente que já aconteceu isso. Já aconteceu de formatarem meu disco e eu perder tudo!

“E com eles isso não pode acontecer??”

Claro que pode. Mas a chance é muito mais rara de acontecer do que com você. Afinal eles investem fortunas para que isso não ocorra. Possuem até backups dos backups!

Os servidores do Google por exemplo, nem se sabe onde estão todos os servidores deles! Alguns ficam em navios e se deslocam constantemente. Ou seja, sua informação está por ai, em algum lugar e ninguém sabe onde.

Ao meu ver as únicas desvantagens são a questão do desempenho (que fica condicionado à velocidade da conexão) que no Brasil é algo triste para todos nós internaltas brasileiros. Mas temos esperanças que isso melhore.

Mas anotem o que digo: A nuvem vai continuar se expandindo.

Obs: Se você não tem tempo, não tem paciência ou tem preguiça de ler, assista os vídeos abaixo.

Veja mais:

httpv://www.youtube.com/watch?v=2_Tn_QhvBbM&

httpv://www.youtube.com/watch?v=Su1r8L84muQ&

httpv://www.youtube.com/watch?v=4sGiNsy1mrQ&

httpv://www.youtube.com/watch?v=1SCZzgfdTBo&