Press "Enter" to skip to content

Impressões sobre o iPad

Esse final de semana eu mexi pela primeira vez em um iPad. Passei cerca de 3 horas brincando com ele, e pude testar várias funções — entre elas, a surpreendente duração da bateria. Não sei que mágica a Apple fez no chip novo dela, mas é extremamente eficiente. E reforço a ideia de que, assim que você mexer em um, vai querer sacar seu cartão e levar para casa.

Enquanto o nosso amigo Mettrau não publica o super-completo-megaboga-review dele sobre o dispositivo, resolvi expôr minhas opiniões sobre o aparelho, tópico por tópico. Não poderei detalhar muito  o Safari, pois usei o iPad numa conexão EDGE. Para quem não sabe, EDGE, também conhecida como 2,5G, é a rede que veio antes do 3G, com velocidades semelhantes à internet discada. Outro tópico que não poderei comentar são os jogos, já que o iPad não era meu e só tinha um jogo instalado nele. Mas o dono falou que se decepcionou com os jogos de iPad, e se sente ridículo mexendo ele como se fosse um volante. Deixarei estes dois tópicos para serem aprofundados pelo Mettrau, assim como aplicativos de terceiros em geral.

Aviso: Esse post pode e deverá conter um monte de contradições, mas o iPad é isso mesmo, uma contradição gigante.

Teclado

O melhor teclado touch hoje no mercado. A tela é extremamente responsiva, até mais que o iPhone, eu diria. Claro que você não tem a mesma resposta física que você teria no teclado de verdade, mas mesmo assim será possível digitar textos grandes nele, com uma experiência melhor que qualquer outro teclado virtual que eu tenha usado. Seja em Tablet PCs ou celulares. E se você precisar digitar por um período maior de tempo, ainda pode usar um teclado bluetooth ou o dock com teclado.

Tela

A tela é linda, e, apesar de não ser Full HD, até parece. A resolução 4:3, outrora criticada, faz todo o sentido do mundo depois que você navega na internet durante um tempo. Posso dar a certeza para vocês porque sou dono de um netbook, e é muito melhor navegar na internet por meio do primeiro dispositivo. Outra função que justifica a resolução é a (retro?)compatibilidade com aplicativos de iPhone. Inclusive no início do ano havia uma imagem mostrando isso, mas não consegui achar ela. Se algum de vocês, leitores, achar, pode colocar aqui nos comentários que acrescento aqui no post — com créditos e tudo !

Mas tudo tem um porém. Com a resolução 4:3, a experiência para ver vídeos não é tão boa. Você verá mais faixas pretas que o filme em questão. Outro contra da tela é o backlight. O iPad não é para ler livros. Testei o iBooks e ele realmente cansa a vista. Não tem nada de magia que alguns blogs mundo a fora noticiavam, falando que essa tela não cansa os olhos. Bullshit. Se você é daqueles que não se incomoda em ler um livro todo na tela do computador, vai adorar ler no iPad. Caso contrário, compre um Kindle.

Livros

Falei um pouco mais dessa função no item interior. O aplicativo iBooks (e todo o iPad, na verdade) tem animações que são colírios para os olhos, coisa linda mesma. Mas não é para ler por muito tempo. Se você só vai ler uma coisa ou outra, funciona perfeitamente. Mas se você quer um dispositivo para leitura, fuja. Além disso, a tela dele é horrível no sol.

Irei colocar aqui a melhor analogia que consegui encontrar em relação a iPad, Kindle, e leitura de livros no geral. Se você comprar um iPad para ler livros, estará comprando um Mercedes para andar em estrada de terra. Tem certeza que a melhor opção não é um LandRover (Kindle)?

Música

Acho que ninguém compra um iPad para ouvir música, mas é uma função bem legal dele. O alto-falante produz sons bem limpos, apesar de eu não ser nenhum audiófilo para julgar isso com muita precisão. Além disso, o volume dele é bem alto.

Uma coisa me chamou muita atenção foi os aplicativos Vídeos e iPod serem separados, e a integração entre eles. O aplicativo iPod (imagem acima) tem uma interface que lembra bastante o iTunes, apesar da falta do Cover Flow, que eu particularmente adoro. Assim que você seleciona um videocast, filme ou programa de TV, ele abre já no aplicativo de Vídeo, tirando proveito da velocidade do chip A4 da Apple. Falando nisso, vai ser interessantíssimo ver o novo iPhone com esse chip e o dobro de RAM do iPad. O aparelho vai voar. Mas isso é assunto para outro post.

Mail

Como Steve Jobs, acredito que o iPad seja o melhor dispositivo para checar seu email. O iPhone já fazia isso muito bem, mas ás vezes sua tela diminuta dificultava a digitação de textos mais longos, ou mesmo a leitura daqueles que não podiam ser resumidos em alguns tweets. Podemos observar que a Apple se preocupou muito com a interface do aplicativo, tornando-a ao mesmo tempo bonita e eficiente, sem sair do padrão estabelecido pelo iPhone. Aliás, em (quase) todos os aplicativos podemos ver certas semelhanças com os equivalentes no iPhone ou no Mac, o que dá uma sensação de “estar em casa”

iWork

Testei dois dos três aplicativos que formam a suíte iWork, vendida pela Apple a 9 dólares cada, o Pages e o Numbers. Os dois muito bem feitos, com destaque especial ao Pages porque eu não uso planilhas e não entendo nada do Numbers. O primeiro vem inclusive com um pequeno tutorial, ensinando como colocar fotos/gráficos nos textos, mudar o estilo, entre outros. Assim como a versão para computador, os aplicativos da suíte iWork vem com templates, ou seja, temas para seus documentos. Exemplo: Carta, Página em branco, CV.

Recomendo a compra.

Mapas

Esse aplicativo explodiu meu cérebro. Sério. É impressionante a velocidade com que a página é carregada, e a tela de 9 polegadas + o multi-touch proporciona uma experiência  melhor que no iPhone ou em computadores. Você tem a sensação de estar segurando o mundo em suas mãos. Também é incrível navegar pelo Google Street View. É totalmente DUFUTURO.

Outras considerações:

  • Os aplicativos de iPhone no iPad ficam pequenos em 1x e embaçados em 2x, então acho que a melhor opção seria usar o FullForce, mas como o iPad que usei não era jailbroken, não pude testar.
  • O “Now Playing” é muito feio.
  • A Lockscreen também é meio feia. Mas essa segunda acho que é questão de costume mesmo. Afinal, a maioria de nós está mexendo em iPods e iPhones mais do que o triplo do tempo que o iPad tem de mercado.
  • Apesar de você poder usar aplicativos de terceiros no lugar do aplicativo da bolsa e da previsão do tempo, entre outros, seria mais legal ter uma espécie de Dashboard no iPad.
  • Apesar de, em fotos, a borda parecer feia, fica bem bonita ao vivo. Não posso dizer o mesmo da antena 3G porque ele estava com capa.

Veredito

O iPad é um ótimo aparelho e eu provavelmente logo irei abandonar a resistência. A Apple se preocupou muito com a interface do produto, e a grande maioria dos aplicativos são lindos, com animações de encher os olhos. Mas, como todo produto, ele têm suas falhas, dentre elas a leitura de eBooks. Por isso, acredito que ele vá ocupar o mercado dos netbooks, apesar de ser quase o dobro do preço, mas não vá matar o Kindle. Quer dizer, ele provavelmente roubará o público do Kindle DX, o grandão, de 9 polegadas e quase o mesmo preço que o iPad, mas quem quiser um dispositivo apenas para leitura deverá priorizar o Kindle 2. Alguns aplicativos do iPad, como o Contatos, por exemplo, ficaram melhores do que no Mac OS X, por incrível que possa parecer. Apesar disso, não acredito que o iPad vá matar os computadores.

Ainda não.