Press "Enter" to skip to content

Hardware: Retina Display explicada

Durante o lançamento da quarta geração do iPhone, a Maçã deu um enorme destaque à uma de suas mais brilhantes criações: a tela Retina. Essa “super tela” veio para revolucionar o padrão de displays presentes nos smartphones até hoje, uma vez que possui uma resolução bem acima da média de mercado. Veja que a resolução da tela do iPhone 3gs é de 480 x 320 pixels, já a nova Retina possui uma espetacular resolução de 960 x 640. A questão é: como alojar tamanha pixelagem num espaço de apenas 3,5 polegadas?

Aqui está a grande sacada da Maçã. Seus engenheiros trabalharam para produzir pixels num tamanho bem menor, para que coubessem no espaço relativamente apertado de 3,5 polegadas. O tamanho de cada pixel é de 78 µm (micrometros) – tamanho qual que a nossa retina não é capaz de perceber a divisão dos pixels. Daí o nome Retina Display.

Com a redução dos pixels, sem perda de qualidade, a densidade pixelar pula de 163 ppi (pixels por polegada) para 326 ppi. Surpreendentemente o dobro! Como resultado, temos imagens próximas à perfeição, com aspecto uniforme e extremamente ricas em detalhes.

Note a diferença da resolução da Retina (direita) com a resolução do LCD normal do iPhone 3GS (esquerda).

O próximo diferencial da “super tela” é a presença da tecnologia chamada IPS (in-plane switching). Sua missão é aumentar o ângulo de visão da tela sem que haja perda de luminosidade nem qualidade das cores. Isso é possível graças à aplicação de movimento nas moléculas de cristal líquido da tela. Assim, os raios de luz deixam de ser focados e passam a ser refletidos em todas as direções. O Resultado é um inacreditável ângulo de visão de mais de 178 graus em relação ao plano da tela.

Embora o planejamento da Retina tenha sido da Maçã, ela não produz a tecnologia IPS, portanto, as telas são fabricadas pela LG.

Com o sucesso da Retina Display, a Apple já demonstrou interesse em introduzir esta nova tecnologia nos próximos aparelhos da marca.

Para evitar possíveis confusões, vale ressaltar que, apesar da tela do iPad estrelar a tecnologia IPS, ela não é uma Retina Display, pois seu pixels são do tamanho-padrão anterior.