Press "Enter" to skip to content

Experiência na iPlace. Premium Reseller mesmo? [atualizado]

Como vai, pessoal? Pois bem, faz alguns anos já que as Premium Resellers da Apple, revendas autorizadas e ditas Premiums, começaram a explodir pelo mundo. No Brasil, como é de costume, essa febre veio um tanto que tardia, mas chegou, fazendo a alegria de nós, geeks brasileiros. Mas até onde vai essa alegria? Será que esses revendedores são realmente bons o suficiente para usar o adjetivo “Premium” em seus nomes?

 

Pois bem, venho falar sobre minha experiência em uma dessas revendedoras, a iPlace. Tudo começou quando comprei um iPad 1 na loja, vendedores super-atenciosos e educados, uma excelente loja e uma proposta tentadora: Pós-venda diferenciado. Nesse pós-venda, eu teria total suporte no que eu precisasse, desde explicações de funções nativas até mini-cursos sobre iOS, dentro das possibilidades, é claro. Quando perguntei ao vendedor por que comprar na iPlace, já que não era a loja que vendera o iPad pelo menor preço, ele me respondeu: Pela garantia. Segundo ele, os assistentes técnicos da iPlace, cursados e autorizados pela própria Apple, estariam ali para qualquer coisa que precisasse, diferente das outras lojas, que, em suas palavras, estariam se lixando para você após a venda.

 

Até aí, só alegria, comprei meu iPad e fui feliz para casa. Então que começa minha lástima, meu iPad apresentou um problema na placa Wi-Fi, fazendo-a não ser identificada pelo sistema. A principio imaginei ser um erro de firmware. Restaurei, atualizei, restaurei em DFU e nada, logo pesquisei sobre o assunto no fórum da Apple, onde achei a informação que esse erro é mais comum do que se imagina, e apenas a troca do aparelho se fazia cabível para solução do erro. Pensei que não teria problemas em acionar a garantia do produto, então fui até a iPlace e apresentei meu produto. Cheguei na loja por volta de três horas da tarde, fui até o balcão, já que nenhum dos três vendedores que estava na loja se levantaram para me atender. Chegando lá relatei o acontecido e a atendente pediu que me dirigi-se ao balcão de assistência. Chegando lá, simplesmente, três técnicos estavam jogando em iPhones, iPads e iPods touch, apresentei o iPad defeituoso e sem sequer abrir sua caixa, disseram que o deixasse sobre o balcão e voltasse mais tarde, já que o responsável não estava no momento (obs: como estava nervoso, juro que vi “técnico”, mas parece que não há diferença nas blusas dos funcionários da iPlace). Deixei meu iPad no balcão sem receber nenhum comprovante de que eu deixara meu iPad lá e sequer falar o problema que o iPad tera. Cerca de 3 horas após o abandono, retornei para saber do meu device, quando encontro o técnico com dois iMacs sobre o balcão e um MacBook. Perguntei sobre o meu iPad para o técnico que me atendera antes, ele virou para o primeiro, sem tirar os olhos da tela do iPod, e perguntou se ele já havia olhado o iPad. O técnico perguntou qual iPad, mostrando a total falta de compromisso com seu serviço. Este ainda afirmou que o iPad alí deixado a poucas horas estava esperando assistência desde o dia anterior, quando foi desmentido pelo colega. Foi então que começou a sessão raiva-geek:

O técnico, antes mesmo de saber qual era o problema, afirmou que não poderia fazer a troca, já que só havia iPads 2 no estoque da loja, eu então afirmei que desejava a assistência, não a troca. Perguntei se caso não houvesse conserto, ficaria no prejuízo, já que eles não fariam a troca, o técnico por sua vez disse a seguinte e absurda frase:

“Não tem como não ter conserto, amigo.”

Acalmei meus ânimos e respirei fundo, deixei a afirmação sem replica. Só então que ele abriu a caixa do meu iPad para averiguar, logo perguntou qual era o defeito, relatei, então ele me perguntou se já tinha tentado atualizar, disse que sim. Perguntou em seguida se tinha tentado restaurar o iPad, afirmei novamente. Por fim, me indagou se havia feito a restauração em modo DFU, e pela terceira vez afirmei. Com isso esse “técnico” me fala a seguinte frase, com as mesmas palavras:

“Ah, fez? Então me diga como se faz uma restauração em modo DFU.”

Com essa frase, me senti insultado de maneira jamais ocorrida, como se por minha idade ou por minha situação me encaixasse em um estado de ignorância automática. Diante de tamanha falta de profissionalismo e falta de respeito, decidi abandonar a loja e voltar só depois que o problema fosse resolvido. Como de costume, me dirigi ao balcão de atendimento para pegar uma ordem de serviço ou um comprovante de que meu iPad estara alí para reparos, eis mais uma surpresa: A iPlace não fornece nenhum documento desse tipo, e segundo o técnico, que falou ao fundo: “Aqui é na confiança, amigo”.

Até agora, 3 dias após o ocorrido, não tive resposta alguma sobre meu iPad.

Esse post será enviado para a iPlace, para que a mesma possa replicar a situação citada. Caso tenhamos alguma resposta, a matéria será atualizada com a resposta da mesma.

————————————–Atualização 02/06——————————————-

Entramos em contato com o gerente comercial da iPlace e obtivemos a seguinte resposta:

A troca do produto não foi realizada no ato por não haver o modelo (iPad 1G 3G/Wi-Fi 16gb) disponível na loja. Logo haverá uma busca para conseguir o iPad especificado para realizar a TROCA do produto pelo mesmo modelo.

Quanto aos funcionários, já foram orientados e estão aguardando o certificado da Apple, que chegará dentro de uma semana, podendo assim emitir  ordens de serviço.

Agora resta esperar a troca do produto, se este se confirmar, postarei aqui o resultado.