Press "Enter" to skip to content

Depois de lançar Iphone com Android, Gradiente explica a polêmica em vídeo

Há alguns dias, a fabricante brasileira Gradiente lançou um smartphone que roda Android com um detalhe causador de bastante repercusão no mundo inteiro: o nome do aparelho é, legalmente, “Iphone”. Só o nome do aparelho já foi motivo para muito blábláblá e milhões de matérias sobre o aparelho, que ganhou até um artigo no conceituado jornal norte-americano Wall Street Journal.

A Gradiente vendeu um celular com o nome de “Iphone” no ano de 2000, mais de 6 anos antes da Apple lançar seu primeiro smartphone, em 2007, o popular iPhone de primeira geração. A questão é: a Gradiente registrou a marca primeiro, e quem chega primeiro, ganha. Eugênio Staub, presidente da Gradiente, ainda diz que duas marcas não podem coexistir em um mesmo mercado, e cabe à Apple se mexer para mudar isso. Basicamente, uma empresa se aproveitou do sucesso do nome de um produto de outra para colocar de volta ao mercado um produto antigo que certamente jamais seria relançado. Oportunismo.

O Iphone Neo One da Gradiente já está sendo vendido por R$ 599. Ciente de todos os comentários rolando no mundo inteiro desde quando as vendas do seu smartphone começaram, a fim de esclarecer melhor as coisas, a Gradiente publicou um vídeo no YouTube resumindo a história toda.

Por mais que o vídeo aparenta simplificar tudo, o conflito entre as marcas é muito complexo, e a Gradiente pode tomar decisões até mais radicais, como tentar proibir a comercialização do iPhone no Brasil (ou pelo menos fazer com que o aparelho seja vendido com outro nome).