Press "Enter" to skip to content

Apple Watch: tudo o que sabemos até então

O evento de hoje, que tem início marcado para às 14h do horário de Brasília, trará novidades sobre o Apple Watch, que foi apresentado ao mundo pela primeira vez no ano passado, mas já evoluiu bastante de lá pra cá, e está perto do seu lançamento público no mercado. Em meio a tantos rumores e incertezas, eis o que podemos antecipar sobre o Apple Watch até então.

  • Ele será vendido em três versões: uma esportiva (aluminum Sport), uma clássica e uma de ouro 18k. A respectiva sequência segue um aumento no preço.
  • Haverão dois tamanhos do Apple Watch: 38m e 42mm. Não está claro, no entanto, se haverão diferenças no preço dos diferentes tamanhos.
  • As pulseiras podem ser trocadas, pelo menos até certo ponto, e vêm com uma ampla gama de materiais, estilos e métodos de manter o relógio seguro em seu pulso
  • O ‘Digital Crown’, um círculo que gira de forma análoga ao comportamento do zoom de pinça (que atinge um efeito similar ao gesto de zoom com dois dedos que usamos atualmente nos smartphones), funcionará também como um botão de início. Mantê-lo pressionado ativará a Siri.
  • O ‘Force Touch’ é uma tecnologia nova da Apple que reconhece a força de um toque e pode trazer opções e elementos da interface diferentes se o toque do usuário é sutil ou se ele é mais forte.
  • O hardware do aparelho é projetado todo em cima de um único chip, o Apple S1, que combina processador, memória, armazenamento, suporte a conectividade, sensores e I/O. Ele foi projetado desta maneira visando durabilidade.
  • O Apple Watch possui um sensor de batimentos cardíacos na sua parte inferior. Em conjunto com o acelerômetro, ele gerencia a atividade física durante o dia.
  • O bluetooth torna possível a comunicação com o iPhone e com headphones sem fio.
  • O Apple Pay funcionará graças ao seu chip NFC incluso, mas requer um iPhone 5 ou posterior pareado (afinal, é no iPhone que seus dados do cartão estão gravados para leitura nos pagamentos pelo Apple Pay).
  • O sistema Taptic Engine usa o feedback tátil para simular a sensação de alguém batendo em seu pulso. É assim que o relógio lhe envia notificações: por meio de uma vibração especial desenvolvida pela Apple.
  • A bateria deve durar o dia inteiro em uso moderado, ou cinco horas de uso intenso. Isso significa que ela sempre precisará ser carregada à noite. O conector que o Apple Watch usa é similar ao MagSafe dos MacBook’s, e beneficia do magnetismo para o posicionamento e carga por indução.
  • A tela Retina é protegida por um vidro de íon X reforçado na edição esportiva do Apple Watch, enquanto as edições clássica e de ouro são protegidas por um cristal safira polido.
  • A resistência à água aparentemente é uma funcionalidade, já que Tim Cook mencionou que nunca tira o relógio durante o dia, nem mesmo para tomar banho.
  • O Apple Watch tem diferentes aparências dentro do aplicativo relógio, sendo a maior parte delas altamente personalizáveis
  • O Watch OS, o sistema operacional do Apple Watch, introduz novos métodos de comunicação, incluindo gestos (em forma de rabiscos feitos na tela com o dedo), toques,e sinais de batimentos cardíacos que o usuário irá ver na tela ou sentir em seu pulso.
  • Notificações do iPhone podem ser recebidas e aceitadas do Apple Watch, e as pequenas tarefas podem ser concluídas por ele mesmo.
  • O relógio obviamente não inclui um teclado, mas é inteligente e prático o bastante a ponto de responder mensagens por reconhecimento de voz enquanto o iPhone continua no seu bolso.
  • Chamadas telefônicas podem ser atendidas e conduzidas com o uso do auto falante incluso do Apple Watch ou por meio de um headphone wireless, e as chamadas podem ser facilmente transferíveis para o iPhone a qualquer momento, caso você prefira usar o microfone e auto falante do celular para continuar a conversa.
  • Emails podem ser recebidos e suas respectivas flag’s podem ser marcadas através do Apple Watch, mas as respostas devem ser redigidas pelo Mail do iOS, que usa a Continuidade para abrir diretamente a mensagem no seu iPhone.
  • O acompanhamento de saúde e fitness é uma meta fundamental da Apple, e o Apple Watch aprimora isso ao registrar movimentos e taxa de batimento cardíaco, lembrando usuários de se moverem regularmente e recompensando-os por cumprir os objetivos de exercícios.
  • Aplicativos de terceiro que usam o WatchKit estarão disponíveis para o smartwatch da Apple, mas necessitarão de um iPhone conectado para rodarem. Isso pode mudar no futuro, no entanto.
  • Os modelos de teste aparentemente tem uma capacidade de armazenamento de 8GB, e, como já foi exposto anteriormente, músicas salvas no Apple Watch podem escutadas por headphones wireless.
  • O Watch OS possui um modo agressivo de reserva de bateria que irá manter apenas a funcionalidade básica do relógio: mostrar a hora. Ele pode ser ativado a qualquer momento, não apenas quando a bateria está baixa, mas o seu objetivo primário é garantir que o usuário possa ver as horas por mais tempo até quando a bateria está baixa.
  • Ele é mais que um acessório fashion: é um smartwatch. Seu concorrente não é o Android Wear, nem o Rolex.
  • As vendas do Apple Watch começarão em abril, mas a pré-ordem começará antes.

O vídeo de demonstração do Apple Watch abaixo foi gravado em 2014 — isso prova que o aparelho estava pronto desde então, mas precisou ser bastante aprimorado. Confira-o:

Ansiosos para o evento de hoje? Nos vemos às 14h no “iPod School Live!“.

via iDB.