iPod School

Apple queria ter equipado o primeiro iPhone, de 2007, com processador Intel

André BazagliaAndré Bazaglia

Já explicamos, em matéria anterior, que a briga entre Apple e Samsung cada vez esquenta mais – aliás, isso não é novidade para ninguém. A Apple excluiu a Samsung da produção dos seus chips A7, que equipam iPhones, iPods touch e iPads – mas isso também não é novidade para ninguém, já que não faz sentido duas empresas que concorrem diretamente se ajudarem e dependerem uma da outra. A partir da exclusão da Samsung, rumores que a Intel poderia fabricar chips para o iPhone pipocaram em toda a web. E a Intel, possível candidata à produzir chips ARM para a Apple, se pronunciou, negando que produzirá chips ARM para o iPhone por enquanto. Leia mais [1, 2]

O curioso é que o pronunciamento da Intel é justificável a partir de uma situação passada no relacionamento entre ela e a gigante de Cupertino. As duas empresas têm uma parceria à longa data, já que Macs são equipados com processadores da Intel. Mesmo assim, a Intel negou o pedido inicial da Apple para participar do desenvolvimento do hardware do iPhone. Na época, Steve Jobs já estava certo do potencial revolucionário do iPhone, mas ele continuava sendo uma incógnita para a Intel. Hoje, o ex-CEO da Intel se arrepende, em entrevista dada à The Atlantic:

“A lição que eu aprendi depois disso foi que, embora discutamos em cima de dados por aqui, muitas vezes na minha carreira eu fiz decisões com base no meu instinto, e eu deveria ter seguido meu instinto. Meu instinto me disse para falar ‘sim’.”

Sim, o iPhone poderia ser “intel-powered” até hoje, mas adotou a estrutura ARM, em parceria com a Samsung. Ah, como um dado solto e interessante final desta matéria, lembre-se que o Atom Z2760 tem consumo equivalente ou menor que Tegra 3. A situação quebra parcialmente o mito que processadores ARM são melhores que os x86 em eficiência energética. A Intel evolui em passos largos, sempre apostando que a tecnologia ARM nunca deve substituir a x86. Sendo assim, investimentos pesados na x86 continuam sendo feitos pela Intel. O que o futuro nos aguarda? Veremos, mas aposto que a Apple continuará tornando-se mais independente em seu hardware, cada vez mais. Aposto também que o iPhone continuará funcionando sobre arquitetura ARM por um bom tempo.

Programador, blogueiro, estudante de Engenharia de Computação. Em busca de deixar sua marquinha no universo.

  • Richard Mcmannus

    Em resumo, a Apple quer continuar fazendo tudo em todos os processos, mesmo que esse tudo nao seja o melhor de todos no monento. Lamentar depois e so um desculpa para uma escolha em que eles(Apple) teimam em seguir.